segunda-feira, 21 de maio de 2012

"Axé para todos! Axé babá!" Evoé Dyonisus!

Ator improvisador, manifestante brincante dos conteúdos internos/externos eternos do ser humano e de seus mistérios. Teatron, teatro, observação, reflexão: servir à natureza espelho, ao ridículo sua imagem, à virtude sua própria expressão. Não exagere, mas nada de contenção excessiva, seja natural em tudo, pois tudo que é natural e sóbrio engrandece a ação. Trate bem os atores, pois são a crônica sumária e abstrata do tempo, é preferível ter um mau epitáfio a ser difamado por eles em vida.

E "Shakespeare já sabia que os delírios têm sentido. Polonius sobre os delírios de Hamlet diz: Desvairios sim, mas tem seu método! Mas naturalmente os homens de ciência nunca escutam os poetas"
Nise da Silveira.