sexta-feira, 28 de novembro de 2008

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Apresentação 22 de Novembro, 20:00 horas

Apresentação de nossa peça "E Ainda Assim Se Move!" na Bienal de Arte, Ciência e Cultura da União Estadual dos Estudantes( http://bienalueerj.blogspot.com/)
Será no sábado , dia 22, às 20:00, na Escola de Desenho Industrial-UERJ Rua Evaristo da Veiga 95, Lapa, , atrás da Escola de Música da URFJ (Mudança de última hora por parte da Bienal de Cultura da UEE).
Aguardamos todos lá para a peça e a conversa.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

TupiNago Lab Movement: and Art Science, mixed up, for the citizen.

Extract: "Our
 proposal
 is
 to
 abandon
 specialized
 language
 and
 its
 vicious
 cycles
 of


bureaucratic‐material
 rewards
 and
 “unspecialize”,
 that
 is,
 to
 learn
 to
 speak
 in


citizen
 language, 
to 
get 
to 
use 
artistic 
languages, 
invincible 
in 
the 
communication
 potential, 
and
 disseminate 
truth,
but
 not
 any 
truth, 
but 
that 
profoundly
 reflected,


learned
 through
 experience,
 checked,
 carefully
 examined
 for
 every
 and
 each


citizen.
 Artist,
 get
 involved
 with
 science,
 it
 needs
 you
 to
 empower
 precious


information
 veiled
 from
 the
 citizens,
 and
 scientist,
 get
 involved
 with
 art,
 it
 can


helps
 you
 to
 see
 the
 world
 in
 a
 broader
 perspective
 and
 unbury
 you
 from
 the


grave
 of
 the
 specialty
 that
 darkens
 your
 vision
 about
 the
 world.
 Unspecialize


yourselves!
 Mix
 up
 yourselves,
 develop
 new
 languages,
 exchange
 information,


and
 above
 all:
 speak
 to
 the
 citizen
 ‐
 by
 the
 way,
 aren’t
 you
 citizens?
"


Full text pdf here

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

de Carlos Drummond de Andrade, O Novo Homem

O homem será feito
em laboratório.
Será tão perfeito
como no antigório.
Rirá como gente,
beberá cerveja
deliciadamente.
Caçará narceja
e bicho do mato.
Jogará no bicho,
tirará retrato
com o maior capricho.
Usará bermuda
e gola roulée.
Queimará arruda
indo ao canjerê,
e do não-objeto
fará escultura.
Será neoconcreto
se houver censura.
Ganhará dinheiro
e muitos diplomas,
fino cavalheiro
em noventa idiomas.
Chegará a Marte
em seu cavalinho
de ir a toda parte
mesmo sem caminho.
O homem será feito
em laboratório,
muito mais perfeito
do que no antigório.
Dispensa-se amor,
ternura ou desejo.
Seja como flor
(até num bocejo)
salta da retorta
um senhor garoto.
Vai abrindo a porta
com riso maroto:
"Nove meses, eu?
Nem nove minutos."
Quem já conheceu
melhores produtos?
A dor não preside
sua gestação.
Seu nascer elide
o sonho e a aflição.
Nascerá bonito?
Corpo bem talhado?
Claro: não é mito,
é planificado.
Nele, tudo exato,
medido, bem-posto:
o justo formato,
o standard do rosto.
Duzentos modelos,
todos atraentes.
(Escolher, ao vê-los,
nossos descendentes.)
Quer um sábio? Peça.
Ministro? Encomende.
Uma ficha impressa
a todos atende.
Perdão: acabou-se
a época dos pais.
Quem comia doce
já não come mais.
Não chame de filho
este ser diverso
que pisa o ladrilho
de outro universo.
Sua independência
é total: sem marca
de família, vence
a lei do patriarca.
Liberto da herança
de sangue ou de afeto,
desconhece a aliança
de avô com seu neto.
Pai: macromolécula;
mãe: tubo de ensaio
e, per omnia secula,
livre, papagaio,
sem memória e sexo,
feliz, por que não?
pois rompeu o nexo
da velha Criação,
eis que o homem feito
em laboratório
sem qualquer defeito
como no antigório,
acabou com o Homem.
Bem feito.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Viva os nossos mestres brasileiros!



Maravilhoso, o mestre, um dos grandes inventores do teatro carioca, Amir Haddad. Na última leitura dramatizada/carnavalizada da peça "E Ainda Assim Se Move" de Flávio Braga e eu, Vitor Pordeus, no último dia 28 de Maio de 2008 no campus histórico da UFRJ na praia vermelha, Amir trouxe a vida o personagem Niel Weiss, outro mestre, guru inventor que foi inspirado no cientista brasileiro Nelson Vaz. Não é coincidência que o guru Amir tenha lido magicamente o guru Niel, os dois são profundos, libertadores, propõe o novo, desenvolvem para vales a ciência e a cultura do nosso país. São dois mestres que deviam ter mais espaço, mais dinheiro para trabalhar, serem mais ouvidos por todos nós, pois tem projetos, idéias, propostas revolucionários para a construção de um país autônomo, livre de ideologias externas colonizadoras, que arrasam nossa possibilidade de originalidade e liberdade intelectual. Vida longa e mais carinho, atenção e reconhecimento efetivo aos dois mestres-inventores da ciência da imunologia, Nelson Vaz, e da arte do teatro, Amir Haddad. Viva!!!

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Próximas leituras dia 28 e 29 de Maio 19 horas UFRJ Praia Vermelha

Próximas leituras carnavalizadas no Forum de Ciência e Cultura da UFRJ na Praia Vermelha
Salão Dourado 19:00
Dias 28 e 29 de maio de 2008
Peça "E ainda assim se move!" ( anteriormente "Tome Ciência!") de Flávio Braga e Vitor Pordeus
Laboratório TupiNagô de Experimentação Artística e Científica

Programação:
http://www.forum.ufrj.br/programacao.html



terça-feira, 29 de abril de 2008

Experimentar Experimentar Experimentar

Tem ator, cientista, atriz, escritor, romancista, dramaturgo, médico, advogado, artista plástico, videoartista, psicanalista. Tem judeu, católico, mãe-de-santo, ateu, espírita, espírito. São amantes de Brecht, Spinoza, McClintock, Jesus, Marx, Benjamin, Marcuse, Maturana, Vaz e querem, sim, mudar o mundo. Ao menos contribuir para a mudança de alguma forma. Se encontraram na vida e abraçaram algumas idéias, dois deles, os que escrevem, se juntaram, e prepararam o texto para teatro. Uma sátira contemporânea. Agora, eles estão lendo com o título provisório "Tome ciência!", estamos realizando leituras carnavalizadas/experimentos, e o Laboratório TupiNagô de Experimentação vai ficar feliz em ouvir o que você pensa.